Header Ads Widget

NIKOLA TESLA - O INVENTOR MAIS INJUSTIÇADO DA HISTÓRIA - Doc Nostalgia

NIKOLA TESLA - O INVENTOR MAIS INJUSTIÇADO DA HISTÓRIA - Do

NIKOLA TESLA - O INVENTOR MAIS INJUSTIÇADO DA HISTÓRIA - Doc Nostalgia



E se eu te perguntasse Qual o maior cientista de todos os tempos? Aposto que muita gente iria responder Albert Einstein, assim, de primeira, certo? Então, vamos falar um pouco de Albert Einstein. Existe uma lenda de que um jornalista teria perguntado para o físico alemão qual era a sensação de ser a pessoa mais inteligente do mundo e o Einstein teria respondido “Isso é melhor você perguntar para o Nikola Tesla”. Não se sabe até hoje se essa história é verdade. Mas é um

boato que diz muito sobre o Tesla, considerado um dos maiores inventores de todos os tempos. O Tesla foi realmente um dos maiores gênios que a ciência teve e muitos dos seus inventos fazem parte do nosso dia a dia hoje. Aliás, basta você acender a luz do seu quarto ou usar a sua geladeira para entender o quanto o Tesla tem a ver com a sua vida e porque a empresa mais famosa de carros elétricos do mundo se chama... Tesla, uma homenagem a este grande inventor. A história

do Tesla é um reflexo do capitalismo da época em que ele viveu. Ela é cheia de disputas comerciais, rivalidades, muitos quartos de hotéis e uma corrida por financiamento de projetos e inventos que nunca foram para frente por falta de dinheiro. E, mesmo com algumas pequenas fortunas passando pela mão do Tesla, vocês vão ver que ele não terminou sua vida como um grande milionário, pelo contrário. E antes de começarmos nossa história, eu queria pedir para você já deixar o seu 'like'

clicando aqui embaixo, é muito simples! Também queria pedir para você se inscrever, tem um botãozinho aqui vermelhinho, clica lá e se inscreve, porque sempre que eu postar um vídeo novo você será avisado e poderá vir aqui e assistir à estréia com a gente. Um agradecimento especial aos membros Super Sayajin do Clube Nostálgico que ajudaram a fazer esse vídeo acontecer. Se tornando um membro do canal, você me ajuda a continuar produzindo es ses vídeos que vocês tanto

gostam, além de receber vários benefícios. Para se tornar um membro do canal e me ajudar é só clicar no link que eu deixei aqui na descrição Muito obrigado seus fofos! Deixaram like? Se inscreveram? Tudo certo? Então vamos para o vídeo! Agora vamos falar de ciência! Todo mundo concorda que a gente vive numa era de ouro da ciência, com invenções como touchscreen, impressoras D e realidade aumentada, certo? A gente até brinc a sobre isso falando “ah, como é bom viver no

futuro!” Mas vocês sabiam que as pessoas sentiam a mesma coisa no final do século XIX? Esse período é chamado Era da Ciência, porque rolou um clima de otimismo enorme em relação a como ciência e tecnologia podiam melhorar a vida das pessoas. Existem vários avanços importantes dessa época, como a Teoria da Evolução e a Tabela Periódica dos elementos. E também invenções como geladeira, toca-discos e cinema. Então, na s egunda metade do século XIX, podemos dizer que o

planeta... Respirava ciência. Isso nos leva a uma cidadezinha que hoje está na Croácia e tem só habitantes. No meio do século XIX, esse vilarejo chamado Smiljan, que ficava no antigo Império Austríaco, e tinha umas . pessoas. Entre elas estava um sacerdote gda Igreja Ortodoxa Sérvia chamado Milutin Tesla e sua esposa Duka. Essa família, que tinha origem sérvia, teve cinco filhos, e o quarto n asceu em de julho de , sendo chamado de Nikola Tesla. Com

cinco anos de idade, o Nikola começou a frequentar a escola, aprendendo matemática, religião e alemão. Mas, no ano seguinte, toda a família se mudou para uma cidade maior chamada Gospic, onde ele fez o ensino fundamental e o ensino médio. O Nikola curtia mexer com aparelhos mecânicos para entender como eles funcionavam. Mas o impressionante mesmo era sua memória fotográfica. Era só ele olhar a lgo para depois se lembrar do negócio com todos os detalhes e chegava a decorar

livros inteiros dessa forma. Em , ele foi estudar na cidade de Karlovac. O Nikola se deu tão bem nessa escola que terminou o curso de quatro anos em apenas três, porque tinha uma facilidade enorme para aprender idiomas e também conseguia fazer contas gigantescas de cabeça. Mas o mais importante é que foi nesse colégio que ele descobriu a paixão da sua vida, quando o professor d e física começou a fazer experimentos para demonstrar as propriedades da eletricidade. O

menino ficou totalmente enlouquecido com esse assunto e só pensava na tal da eletricidade. Só que depois de sair do colégio, em , o garoto Tesla, no auge de seus anos, conheceu o terror do cólera. Ele pegou essa doença logo que voltou para casa dos seus pais. Naquela época ter cólera era comum por causa da falta de saneamento básico e como ainda não existiam antibióti cos, muita gente morria disso. E o Nikola chegou BEM perto de morrer. Seu pai ficou tão desesperado

que, mesmo querendo que o filho seguisse carreira religiosa, fez até a promessa de mandar o menino para a melhor faculdade de engenharia do mundo caso ele se recuperasse. Foram meses de muito sofrimento, afinal o cólera é uma doença que afeta o intestino delgado e causa diarreia, náusea, febre e cólicas violentas. É uma doença que pode ser muito agressiva. Mas, d epois de passar meses doente, o Nikola finalmente melhorou... E aí, fugiu de casa! Sim, isso mesmo! Em , o

Nikola tinha anos, ou seja, já tinha idade para ser recrutado pelo exército. Mas ele não queria nem ouvir falar disso, então foi se esconder numa cidadezinha perto da sua casa, e passava o tempo dando rolês nas montanhas, lendo livros... Foi tipo um ano sabático. Foi só em que ele finalmente foi pra universidade, estudando no departamento de Q uímica e Tecnologia do Colégio Politécnico Austríaco, na cidade de Graz, na Áustria. Lá ele começou a mudar de vez a sua

vida. No primeiro ano da faculdade, ele passou em nove matérias, quase o dobro do que precisava. Aí, foi para casa nas férias achando que ia ser recebido como um gênio, só que o pai dele olhou o boletim e comentou algo do tipo “Nove matérias...ah, legal. Vamos almoçar?” Um pai muito encorajador né? Bem, existe o outro lado da moeda. No primeiro ano na faculdade, o Nikola estudou todos os dias das da manhã às da noite e os professores mandaram cartas para o pai

dele, dizendo que o menino ia morrer de tanto estudar. Então o que também se acredita é que o seu pai fez pouco caso das suas notas para não incentivar o filho a exagerar demais nos estudos. Uma pena que Nikola só tenha descoberto isso anos depois, após o falecimento de seu pai, quando ele encontrou essas cartas. Mas, naquele m omento em que o pai reagiu daquela forma, o Nikola não fazia ideia disso. Ele só achou que seu pai estava sendo um grande babaca e decidiu que então

iria estudar as matérias que gostava mais, como física, mecânica e matemática. Mas a vida do jovem Nikola não se resumia a estudos. Assim que ele começou o segundo ano, ele caiu na farra. Isso aconteceu da seguinte forma tiraram muito sarro pelo fato dele só estudar o tempo inteiro. Então Nikola quis mostrar que po dia fazer parte da galera e começou a ir para barzinhos, jogar baralho... E o resultado é que ele ficou viciado em jogo! E era vício mesmo! Ele não conseguia parar

de jogar. Chegou ao ponto dele perder o dinheiro da mensalidade da sua faculdade em apostas. Por sorte ele conseguiu recuperar a grana na mesa de jogo e acabou abandonando o vício. Só que no final do terceiro ano, chegaram os exames e o Nikola não tinha estudado nada, porque ficava no boteco ou lendo coi sas que achava mais legais que as matérias da prova. Ele pediu mais tempo para estudar, mas os professores não deixaram, então ficou sem notas. Simples assim! Por isso largou

a faculdade e foi se esconder em uma cidade chamada Maribor, que fica na Eslovênia, porque não queria que seus pais soubessem o que tinha acontecido. Por ele não ter tirado nota, porque ficou jogando e vagabundeando. Ele ficou um tempo nessa cidade trabalhando como desenhista e jogando cartas com os velhinhos na praça, olha que vida! Mas um dia, do nada, o pai dele apareceu ali implorando para ele voltar para casa e isso criou um problema ainda maior. O Nikola não queria ir

embora de jeito nenhum, mas no fim voltou para casa por ordem da polícia, porque não tinha licença para morar na cidade. Olha só o Tesla não tem nem anos e já teve cólera, fugiu do exército, ficou viciado em jogo e quase foi preso! E tem gente que diz que a vida de cientista é chat a! Depois que voltou para a casa dos seus pais em Gospic, o Tesla foi dar aulas na escola onde tinha estudado. Mas aí seu pai morreu e seus tios juntaram dinheiro para ele voltar a estudar. Com

isso, em , ele se mudou para Praga, para estudar na Universidade Charles-Ferdinand, uma das mais antigas da Europa. Só que como a data de matrícula já tinha passado e o Tesla não falava grego nem tcheco, que eram idiomas obrigatórios no curso, ele assistiu apenas às aulas de filosofia e como ouvinte, sem receber notas. Mas isso não durou muito, porque no ano seguinte ele descolou o emprego de eletricista-chefe numa empresa de telégrafos em Budapeste, na Hungria.

Foi nessa cidade que ele teve uma visão que mudaria o mundo. Ele estava trocando ideia com um amigo num parque, e aí pegou um graveto e começou a desenhar um motor no chão. Ele olhou o desenho com calma e fotografou todo o projeto na sua cabeça. E eu vou pedir para você fazer o mesmo guarde essa informação que eu ainda vou falar muito sobre esse motor. Em Budapeste, o Tesla trabalhava com um inventor chamado Tivadar Puskás, que descolou para ele um emprego em Paris, na

Companhia Continental Edison. Já na França, Tesla ganhou ainda mais experiência com aparelhos elétricos e, de quebra, criava versões melhoradas de motores e dínamos. "Dínamos? O que é um dínamo?" Dínamos são máquinas que convertem energia mecânica em elétrica, ou seja, funcionam como geradores de energia elétrica. Foi quando seu chefe Puskás foi chamado para trabalhar com o próprio Thomas Edison em Nova York. Puskás não perdeu tempo e levou o jovem Tesla com

ele. Assim, em junho de , Tesla pisou nos Estados Unidos pela primeira vez para trabalhar na Edison Machine Works. Alguns de vocês devem estar se perguntando "Edison? Mas esse é o Thomas Edison?" Exatamente! Essa fábric a era comandada por um dos maiores inventores da época, Thomas Edison. Foi ele quem inventou a lâmpada incandescente, que marcou o início da Era da Eletricidade... E construiu o primeiro sistema de distribuição elétrica de Nova

York. Além de inventor, ele era um homem de negócios e suas fábricas tinham centenas de funcionários. O Tesla trabalhou com o Edison por apenas seis meses, e eles se encontraram somente algumas vezes nesse período. Uma delas foi quando o Tesla passou a noite inteirinha resolvendo um problema com o sistema elétrico de um navio. Quando ele estava voltando para casa de manhã cedo, cruzou com o seu supervisor e com o Edison, que brincou que o Tesla tinha passado a noite

na balada. Aí o Tesla explicou que tinha trabalhado a noite inteira, deixando o Edison até meio sem graça. Mas não se sabe ao certo porque o Tesla pediu as contas da fábrica do Thomas Edison. Uma história diz que ele não ganhou um bônus que deveria ter recebido. Outra diz que prometeram mil dólares para o Tesla se ele fizesse projetos de máquinas diferentes. Ele fez os projetos e foi cobrar o dinheiro, mas o Thomas Edison desconversou, falando que “ah, era só

brincadeira”. Todo engraçadão esse Edison, né? Mas independente do motivo que fez o Tesla pedir demissão, o que se sabe é que Edison ainda ofereceu um aumento de dólares para o Tesla, que ganhava dólares por semana. Uma merreca. Tesla sabia que seu trabalho valia mais que isso, então pegou suas coisas e foi tocar seus projetos. Um deles era algo que ele tinha começado na empresa do Edison, envolvendo lâmpadas de arco, que eram muito usadas na época. Ele

conheceu dois empresários que concordaram em bancar essa ideia, e aí surgiu a empresa Tesla Luz Elétrica & Manufatura e o projeto virou um gerador elétrico patenteado em nome do Tesla, junto com outras invenções menores. Para quem não sabe, patente é o seguinte se você inventa alguma coisa, você entra com um processo de patente e a invenção é registrada no seu nome. É quase como se fosse o direito autoral da invenção. A patente desse gerador foi a primeira do Tesla nos

Estados Unidos e depois ele foi contratado para instalar esse sistema elétrico numa cidade de Nova Jersey. Mas o que não saía da cabecinha de Tesla era aquele motor que ele tinha des enhado com um graveto num parque em Budapeste, que eu pedi para vocês guardarem na memória. Na época, os motores elétricos eram alimentados por corrente contínua, ou seja, os elétrons dentro de um fio se moviam no mesmo sentido sempre. Mas naquele desenho que o Tesla fez, o sentido da corrente

varia com o tempo, e os elétrons ficam num enorme vai e vem. Isso se chama corrente alternada. E como esses movimentos dos elétrons fazem diferença na nossa vida? Q ue negócio complicado! Bem, vamos falar um pouco de distribuição de energia elétrica. Ela é muito mais eficiente quando é feita numa grande voltagem, ou seja, com alta tensão elétrica. Por isso que as estações de energia sempre têm aqueles avisos de “cuidado, fios de alta tensão”. Mas você não pode usar alta

voltagem na sua casa. É preciso abaixar essa voltagem, porque senão essa energia seria perigosa demais para você. E como é muito fácil abaixar a voltage m quando ela é transmitida por corrente alternada, esse método de transmissão acaba sendo mais barato e mais eficiente. Então, o Tesla queria produzir motores elétricos alimentados por corrente alternada, mas seus sócios acharam essa ideia arriscada demais e pularam fora do barco. Por conta disso, a fábrica do

Tesla fechou e ele até perdeu o controle das patentes, que estavam nas mãos da empresa. Em outras palavras, o Tesla perdeu literalmente tudo o que tinha! Ele estava com anos e sem nada. Tudo o que conseguiu foi um emprego para cavar valas e fossos, ganhando dois dólares por dia. Ele dizia que esse foi um dos pontos mais baixos da sua vida. Mas, no final desse ano de , a sorte voltou a sorrir para o Tesla, quando ele conheceu um funcionário da empresa de

comunicação Western Union. Esse cara tinha um amigo advogado e os dois eram especialistas em montar empresas para ganhar dinheiro com inventos. Assim, nasceu uma nova sociedade com os dois dando suporte para o Tesla criar coisas novas. E aí o desenho que o Tesla tinha feito no parque finalmente ganhou vida na forma de um motor de indução de corrente alternada, acionado por um campo eletromagnético, e que é uma das maiores contribuições do Tesla para a ciência. Tesla

permitiu que o mundo fosse eletrificado. Não só isso. Graças à ele a eletricidade deixou de ser só algo útil para se torna r algo universal, que podia ser usado por toda sociedade. Tesla é um dos gênios mais incríveis que a humanidade já conheceu. Uma coisa importante é que a corrente alternada já era conhecida, mas quase ninguém mexia com isso, porque os geradores desse tipo de corrente eram muito rudimentares. Só que o danado do Tesla também aperfeiçoou o gerador de

corrente alternada para alimentar o seu motor. Então, ele não foi o primeiro cara a mexer com corrente alterna da mas foi graças a ele que isso passou a ser usado. Os sócios do Tesla começaram imediatamente a apresentar essa novidade em eventos, alguns contando com o próprio inventor. Isso chamou a atenção da empresa Westinghouse, que trabalhava com distribuição elétrica e precisava de um motor desse tipo. Então rolou um acordo e a Westinghouse licenciou o motor,

pagando para o pessoal da Tesla uma fortuna em dinheiro e ações, e um bônus de royalties. E eles c ontrataram o Tesla como consultor durante um ano, pagando para ele por mês o que seria uns mil dólares hoje! Um de seus primeiros trabalhos como consultor foi em Pittsburgh, criando um sistema de corrente alternada para os bondes da cidade. Mas isso não deu certo, porque como o motor só funcionaria em velocidade constante, os bondes não poderiam acelerar. Essa história,

claro, é apenas uma das inspirações para o Elon Musk começar a criar carros elétricos em sua empresa chamada... Tesla. Esse é o nosso primeiro plano de negócios e colocamos essa história aqui. Elétrica, falando sobre carros elétricos. Olha... ! - Ele escreveu isso em . - Ele enxergava muito além! Agora, uma das maiores consequências desse invento do Nikola foi a Guerra das Correntes. Se você acha que a guerra dos streamings é um negócio agressivo, com cada empresa

indo para cima da outra, posso te garantir que a Guerra das Correntes foi muito mais selvagem. De um lado, estavam as empresas Edison, que defendiam a corrente contínua, que era o padrão da época. Do outro, a Westinghouse, querendo expandir o uso da corrente alternada. E nessas surgiu um engenheiro chamado Harold Brown. Tinham rolado alguns acidentes com eletricidade e esse cara começou a acusar a Westinghouse de causar dezenas de mortes, o que era na verdade um

grande exagero. Harold chegou até a eletrocutar publicamente cachorr os de rua usando corrente alternada, para mostrar como ela era perigosa. Olha que sujeito completamente maluco da cabeça! Esse burburinho deu início a um fenômeno chamado de Pânico dos Fios Elétricos. A eletricidade passou a ser vista como vilã e ninguém queria fios elétricos em cima das suas casas. Acredita? E essa guerra chegou a níveis absurdos quando envolveram até mesmo a pena de morte. Na

época, nos Estadus Unidos onde havia a pena de morte, a forma de execução de criminosos mais comum era o enforcamento. Mas esse método nem sempre dava certo, então os políticos pensaram em usar eletricidade. Um monte de gente foi consultada sobre isso, inclusive o próprio Thomas Edison. E ele aproveitou a oportunidade para criar uma associação negativa à corrente alternada. Thomas era contra a pena de morte, mas disse o seguinte “Olha, se vocês querem mesmo matar

alguém," "é melhor usar aquele negócio de corrente alternada lá da Westinghouse, viu?” Por isso, a primeira execução por cadeira elétrica da história usou um gerador da Westinghouse. A empresa tentou impedir isso na justiça, mas a execução acabou acontecendo, e da pior forma possível. Os técnicos não sabiam usar o negócio, então o criminoso, ao invés de morrer na hora, ficou fritando na cadeira por um tempo. Quem assistiu disse que foi um show de

horror. Agora, por mais qu e parecesse que a Westinghouse estava perdendo a guerra, a empresa acabou virando o jogo e a corrente alternada ganhou a disputa. Primeiro, porque descobriram que aquele engenheiro Harold Brown recebia apoio e grana da empresa do Thomas Edison para criticar a corrente alternada. Segundo, as empresas do Edison foram compradas por investidores e ele acabou sendo deixado de lado dentro da própria organização, e acabou indo cuidar de outros

inventos. Mas a guer ra foi decidida de vez quando a Westinghouse fechou um acordo para cuidar da iluminação da Exposição Mundial de Chicago, em . Esse foi um dos maiores eventos da época, e a iluminação da exposição mostrou para as pessoas de uma vez por todas que o sistema de corrente alternada era seguro e eficiente. E sem exagero algum, isso mudou o mundo. Antes a eletricidade era usada principalmente para acender lâmpadas. Mas com a corrente alternada e o

motor do Tesla, que era mais potente e eficiente, as pessoas puderam usar eletrodomésticos dentro de suas casas. Hoje, a energia que chega na tomada da sua casa e que faz a sua geladeira, fogão, microondas funcionarem, é uma corrente alternada. Isso não quer dizer que a corrente contínua não existe mais. Ela funciona bem com aparelhos de baixa voltagem, é o caso do carregador do seu celular. Já a corrente alternada é usada em aparelhos com motores, como ventilador,
geladeira e máquina de lavar. Então, as duas são usadas, mas a distribuição de energia pelas cidades, que é o mais complexo de se fazer, é feita com corrente alternada. Mas nem só de corrente alternada vivia o Tesla. Aliás, vamos olhar um pouco suas invenções criadas enquanto essa Guerra das Correntes estava se desenrolando! Quando o Tesla ganhou aquele dinheiro do acordo com a Westinghouse, montou um laboratório em Nova York e continuou seus experimentos. Um deles es tava

ligado ao trabalho do alemão Heinrich Hertz, que comprovou a existência de ondas eletromagnéticas, incluindo ondas de rádio. "Pequena" contribuição para a humanidade, né? Essa descoberta ficou na cabeça do Tesla, que começou a trabalhar nisso em seu laboratório. Mas a eletricidade desses experimentos envolvia uma tensão elétrica tão grande, ou, como a gente diz no dia a dia, uma voltagem tão alta que destruía todas as bobinas que o Tesla usava. "O que é um a bobina,

Castanhari?" você me pergunta. Bobinas, para quem não sabe, são dispositivos muito comuns e feitos com um fio elétrico enrolado em forma de espiral. Quando uma corrente elétrica atravessa a bobina, um campo magnético é gerado, armazenando energia. Então, ele começou a fuçar nas bobinas até criar uma que aguentasse o tranco. Quando conseguiu, percebeu que essa nova bobina, que usava corrente alternada, permitia atingir voltagens elevadíssimas. N ascia assim a famosa Bobina

de Tesla. A Bobina de Tesla é capaz de criar um efeito impressionante com raios saindo dela... E justamente por isso foi um dos destaques daquela Exposição Mundial de Chicago, aquele evento enorme que rolou em e eu falei mais cedo. Como o final do século foi uma época de avanços e invenções, a prefeitura de Chicago resolveu fazer essa feira para mostrar como seria o futuro. O evento durou meses e estava cheio de inovações te cnológicas, como uma máquina de fax

primitiva chamada telautógrafo, calçadas que eram esteiras rolantes e outras novidades. Claro que, olhando hoje, a feira tinha coisas bem cafonas, como a réplica de um templo egípcio iluminado por luz elétrica e com painéis mostrando faraós usando telefones. De qualquer forma, na época, todo mundo se encantou com a ideia de conhecer como o futuro seria ou poderia ser. E um dos pontos altos da feira foi a exposição do Tes la. O destaque, claro, era o motor de indução de

corrente alternada, mas tinham outras coisas que deixavam as pessoas chocadas. Uma delas teve uma jogada de marketing bem bacana, porque o motivo oficial da exposição era comemorar os anos do descobrimento da América por Cristóvão Colombo. Você conhece a história de que Cristóvão Colombo teria colocado um ovo em pé? Dizem que uma vez, num banquete, um cara disse para o Cristóvão Colombo que se ele não tiv esse descoberto a América, outra pessoa teria feito isso.

Era uma questão de tempo. A resposta do Colombo foi desafiar as pessoas a colocarem um ovo em pé. Claro que ninguém conseguiu. Aí o Colombo pegou um ovo e deu uma batidinha de leve na ponta, deixando a casca achatada e colocou o ovo em pé na mesa. Todo mundo reclamou “Pô Colombo, mas aí é fácil, você bateu no ovo...” e o Colombo respondeu “mas ninguém aqui pensou nisso”. A ideia do Colombo era m ostrar que qualquer pessoa podia ter descoberto a América, “mas ninguém

pensou nisso, só eu..." "Então parem de me encher o saco e deixa eu curtir o banquete. Eu que descobri a América". Ninguém sabe ao certo se essa história rolou mesmo com o Colombo. Mas o Tesla aproveitou a feira e criou um experimento chamado Ovo de Colombo, colocando um ovo de cobre em pé para demonstrar o seu motor de indução. Aliás, foi um dos melhores anos na vida do Tesla e n ão só por causa da feira. Neste ano, já estava sendo planejada a construção da

usina hidrelétrica das cataratas do Niágara, na fronteira do estado de Nova York com o Canadá. O Tesla foi chamado para conferir isso e concluiu que a melhor maneira de transmitir a energia elétrica gerada na usina seria com corrente alternada, e a Westinghouse garantiu o contrato para cuidar do sistema da usina. Usando as Cataratas do Niágara como fonte de energia hidroelé trica, o sistema de Tesla poderia iluminar todo o noroeste. Não havia comparação. Tesla estava

um salto quântico à frente. O coordenador do projeto ficou tão impressionado com o Tesla, que juntos eles montaram a Nikola Tesla Company, para "tocar" os projetos do inventor. Agora, vamos pensar Exposição de Chicago, usina hidroelétrica, bem, a Westinghouse e o Tesla só podem estar nadando em dinheiro, né? Mais ou menos. Quando ainda estava rolando aquela Guerra da s Correntes, aconteceu uma crise financeira que ficou conhecida como o Pânico de . A Westinghouse foi

obrigada a cortar custos e sobrou para o Tesla, que recebia quase mil dólares por ano só de royalties dos caras. mil dólares naquela época era muito dinheiro. Então o dono da empresa sentou com o Tesla e disse “Olha, se eu não cortar os gastos da empresa," "eu vou perder o comando da companhia," "e aí você vai ter que brigar com os bancos para receb er os royalties”. Então Tesla decidiu abrir mão da grana que recebia. Claro que para ele era bom ter uma empresa como

a Westinghouse, desenvolvendo e promovendo o motor de indução, então ele preservou essa parceria. Mas, ao abrir mão dos royalties do motor de indução que ele recebia da empresa, o Tesla, que se naturalizou cidadão americano nessa época, literalmente abriu mão de se tornar um milionário, porque como o seu motor de corrente alternada passou a ser usado em cada vez mais lugares, aqueles mil dólares de royalties teriam virado uma fortuna em alguns anos. O tempo

passou, e sete anos depois, em , a Westinghouse já havia se recuperado financeiramente e fez um novo acordo sobre a patente do motor de indução, agora sim, pagando uma boa grana para Nikola Tesla, que pelo menos não saiu de mãos abanando. Agora, vem cá? E a família do Tesla? Porque a gente está falando que ele inventou uma coisa aqui, um outro experimento ali... Mas e casamento, filhos? Affairs? O Tesla não tinha vida particular? Bem, respondendo de forma curta,

não. Tesla praticamente vivia para o seu trabalho. Mas sua vida pessoal, em alguns momentos parece mais complexa que algumas de suas invenções. Imagine um cara de quase , e pesando quilos, que estava sempre com a roupa toda alinhada, independente da hora e do dia. Esse era o Tesla. E se ele passasse pelo seu lado, você podia ter certeza de que ele estava pensando em algum invento ou problema científico. Você já ouviu dizer que a genialidade é % inspiração e

% transpiração? No caso do Tesla, isso é verdade, porque ele dormia duas horas por noite. A rotina dele era muito bem definida chegava no laboratório às h da manhã e ficava lá até as h da tarde. Aí saía para jantar e depois se metia no laboratório até às h da manhã de novo. No dia seguinte, estava lá às h em ponto. E ainda arrumava tempo para andar quilômetros todos os dias para se exercitar! E aquela mente privilegiada que ele tinha na adolescência foi só

se aprimorando, especialmente sua memória fotográfica. O Tesla continuava decorando livros inteiros sem muito esforço e falava nada menos que oito idiomas. Uma coisa interessante é que o Tesla pensava por imagens. Um inventor normalmente tem uma ideia, desenha o projeto e só aí começa a construí-l o, certo? O Tesla não desenhava. Ele imaginava a invenção com todos os detalhes e dimensões e construía o negócio de memória! Aliás, ele dizia que muitas de suas invenções

apareciam na sua cabeça em espécies de visões. Ele afirmava que, na infância, tinha algumas alucinações acompanhadas de flashes de luz, e que quando ficou mais velho, essas visões começaram se tornar imagens bem definidas de coisas que ele iria inventar. Ele via uma invenção aparecer d iante de seus olhos em detalhes quase holográficos. Disse que podia girar essas visões. Como ele mergulhava no trabalho, chegando ao ponto de uma vez ficar horas direto acordado no

laboratório, ele nunca se casou. Na verdade, sequer teve namoradas. Tesla passou a vida solteirão, dizendo que não ter relacionamentos românticos ajudava no seu trabalho. Aliás, ele dizia que nunca seria digno de alguma mulher, porque elas eram superiores em tudo. Todos sab iam que Tesla era muito rígido quando se tratava de sua rotina. Mas o que talvez poucas pessoas saibam, é que sua rotina muitas vezes era acompanhada de algumas manias meio... estranhas. Uma delas

é que ele jantava todo dia no mesmo restaurante e tinha que ser atendido sempre pelo mesmo garçom. Tesla mexia os dedos dos pés antes de dormir, exatamente cem vezes para cada pé, dizendo que isso estimulava o seu cérebro. Ele também tinha fobia de germes e sujeira, e era obcecado pelo número três, jamais se hospedando num quarto cujo número fosse múltiplo de três. Claro que na época ele devia ser visto como um louco por causa dessas coisas. Mas hoje, muita gente acredita

que o Tesla, na verdade, tinha TOC, ou transtorno obsessivo compulsivo, e não conseguia ficar em paz se não cumprisse todos esses rituais. Agora, a gente está falando de um cara que não dorme, cheio de manias e que ainda por cima fica fazendo experimentos com eletricidade. Então é fácil pensar no Tesla como o clássico cientista louco, né? Mas isso está bem longe da verdade. O Tesla era recluso mas quando participava de eventos sociais, como recepções ou jantares, todo

mundo reparava que ele era extremamente gentil, atencioso e manjava de muitos assuntos, não só de ciência. Ah, então o Tesla era um cara educado, inteligente, quase um anjo abençoado com conhecimentos científicos? Não, não exatamente. Ele tinha algumas opiniões extremamente problemáticas. Como ele dava muita importância para a aparência, chegava a brigar feio com funcionários quando achava que eles estavam mal vestidos. E ele também era assumidamente gordofóbico, chegando

ao ponto de demitir uma secretária por causa disso. Mas seu pior defeito passava por algo chamado eugenia, que defende que a melhor maneira de aprimorar a sociedade é eliminando os seus elementos indesejáveis. No fim do século , surgiram várias teorias pseudocientíficas que distorciam a Teoria da Evolução, criada pelo Charles Darwin, para defender que seres humanos de raças ou linhagens superiores deveriam prevalecer sobre aqueles que eram vistos como inferiores ou

inadequados. Hoje a gente sabe que essas teorias são completamente fajutas e que isso é, na verdade, racismo disfarçado de ciência. Mas no final do século XIX, muita gente aceitou esse tipo de bobagem e isso incluiu o Te sla, que chegou a dar declarações concordando com essas ideias. Uma das coisas que eu mais curto nesses vídeos biográficos de cientistas, é mostrar que grandes cientistas são pessoas como eu ou você, com defeitos e qualidades. Quem assistiu aos

nossos documentários sobre Einstein e Stephen Hawking sabe muito bem do que estou falando. E isso vale para o Tesla, que era um gênio nos seus inventos mas ao mesmo tempo tinha algumas opiniões completamente idiota s sobre o mundo e as pessoas que existiam fora do seu laboratório. Mas agora vamos deixar isso de lado e continuar com nossa história, porque ainda iria rolar muita coisa na vida do Tesla. Antes precisamos falar de uma tragédia que rolou na vida do Tesla, quando

seu laboratório pegou fogo, em . O incêndio começou no porão do prédio, mas foi tão feio que o laboratório que ficava no quarto andar desmoronou e foi parar no segundo andar! O Tesla ficou arr asado, porque um monte de anotações, projetos e até objetos da Exposição de Chicago se perderam para sempre. Mas ele tocou a vida, construiu um novo laboratório e continuou com seus experimentos. Afinal, os inventos do Tesla nunca eram criados da noite para o dia, porque

ele passava anos tentando colocar uma ideia em prática, ao mesmo tempo em que fazia experimentos de outros projetos. Ou seja, ele estava sempre desenvolvendo muitas ideias ao mesmo tempo, por isso ele tem muitos trabalhos em várias áreas diferentes. Um exemplo é o seu estudo com Raios X. Os Raios X foram descobertos em pelo cientista alemão Wilhelm Röntgen. Agora, e se eu falasse para vocês que o Tesla conseguiu uma imagem de Raios X semanas antes desse cara?

Em , o Tesla estava fazendo um experimento com eletricidade e viu que um pedaço de filme que ele usou parecia danificado. Aí ele começou a investigar o que poderia ter aconte cido, certo de que o filme tinha estragado por causa de alguma energia invisível. Só que o filme não estava danificado. O Tesla tinha, na verdade, captado uma imagem em Raio X sem querer e muito menos sem saber o que era isso. Foi só quando o Röntgen anunciou sua descoberta que o Tesla

entendeu o que tinha rolado no seu experimento. Agora, o fato de outro cara ter descoberto os Raios X não desanimou o Tesla. Ele começou a investigar isso mais a fund o e criou diversos aparelhos diferentes para produzir radiografias. E também foi um dos primeiros cientistas a comprovar que trabalhar com Raios X não era algo % seguro, relatando que esses experimentos causavam danos na pele. Naquela época os efeitos da radiação eram pouco conhecidos. Outra

tecnologia que também tem o dedo do Tesla faz mais parte do seu cotidiano que você imagina. Você acha legal abrir a porta do carro apertando o botão do ch aveiro ou usar o controle remoto para abrir a garagem do seu prédio ou mudar de canal? Então agradeça ao Tesla. Em , ele fez uma apresentação pública de alguns experimentos, incluindo um negócio que ele chamou de telautomaton. Apesar do nome estranho, isso era nada mais, nada menos, que um pequeno barco acionado por

controle remoto com ondas de rádio. Hoje, isso é bastante comum, temos até mesmo brinquedos que usam isso. Mas na época as pessoas não viram m uita utilidade nisso. O Tesla tentou vender a ideia para o exército como forma de construir um torpedo guiado por rádio, mas os caras não quiseram nem conversar. Será que os generais americanos, que acharam que esse invento do Tesla não tinha aplicação prática se arrependeram disso na Primeira Guerra, quando vários países começaram

a usar bombas controladas por rádio? É bem provável que sim. Mas a grande importância do teleautomaton é que ele foi o ponto de partida de um dos maiores sonhos na vida do Tesla, que também é algo muito comum hoje em dia, e talvez você esteja usando agora mesmo a comunicação sem fio. Desde a invenção da Bobina de Tesla, em , ele se ligou que era possível aproveitar a alta voltagem gerada pelo dispositivo para transmitir energia sem o uso de fios elétricos. Ele

chegou a fazer demonstrações acendendo lâmpadas,a metros de distância, sem fios. E, mesmo trabalhando em outros invent os, ele tinha certeza de que era possível fazer com que não só energia elétrica, mas também sinais de comunicação fossem transmitidos sem precisar de fios. Sim, ele estava olhando para algo parecido com o wi-fi que temos hoje. Até o final do século XIX, a forma mais comum e eficiente de comunicação à distância era com o telégrafo, um aparelho que

envia mensagens codificadas por meio de fios, usando eletricidade. Mas, como vocês viram, o Tesla achava q ue era possível transmitir não só energia elétrica sem fios, mas também sinais de comunicação. E ele tinha dois caminhos para seguir adiante com essa ideia. O primeiro era usando ondas de rádio, mas os estudos sobre isso ainda eram muito recentes e as pessoas acreditavam que as ondas de rádio funcionavam só à curta distância. O segundo caminho era baseado em outra

crença da época, que dizia que a atmosfera da Terra podia ser usada como condutora de eletrici dade. Assim, o Tesla pensou num sistema de balões flutuando a quase mil metros de altitude que iriam receber e enviar sinais por distâncias enormes. Essa altitude enorme é porque ele achava que seria mais fácil transmitir eletricidade onde a pressão atmosférica é menor. Mas ele jamais conseguiria estudar isso direito em Nova York, que fica no nível do mar. Então, em

, se mandou para Colorado Springs, uma cidade no Colorado a mil metros de al titude. Para isso, ele convenceu um empresário a investir dinheiro na Nikola Tesla Company. Esse cara achou que a grana seria usada para criar um sistema de iluminação sem fio, mas o Tesla usou o dinheiro para fazer as pesquisas no Colorado. E um detalhe esse investidor se chamava John Jacob Astor IV e foi uma das vítimas do Titanic, em . Quando chegou em Colorado Springs, o Tesla

montou um laboratório gigantesco contendo, entre outras coisas, uma Bo bina de Tesla monstruosa, com metros de diâmetro! E como ele fez um acordo com uma empresa de distribuição elétrica, recebia energia de graça e começou a fazer experimentos usando milhões de volts. O laboratório tinha lâmpadas gigantes que brilhavam até quando estavam desligadas. Quem andasse perto do lugar enxergava faíscas elétricas entre seus pés e o chão, e alguns cavalos tomaram choques

porque suas ferraduras de metal estavam em contato com o solo. Isso sem falar que um dia o Tesla queimou o gerador daquela empresa que fornecia energia para ele, causando um apagão na região. Mas os estudos do Tesla no Colorado ficaram ainda mais famosos quando ele captou sinais de outro planeta. Sim, o Tesla descobriu vida extraterrestre! Ou, pelo menos, foi assim que a história chegou nos jornais. Ele anunciou que havia recebido comunicação de alguma forma de vida

inteligente e jornalistas deduziram que essas mensag ens vinham de Marte. Na verdade, as mensagens vinham da Terra mesmo, porque o Tesla provavelmente captou a transmissão de algum outro experimento com comunicação sem fio. Aliás, muita gente acredita que ele recebeu sem querer uma transmissão do inventor italiano Guglielmo Marconi, que teria enviado esses sinais numa demonstração de comunicação sem fio lá na Europa. E prepare-se porque esse Marconi vai aparecer muito no vídeo

daqui para frente. Agora, sabe aqu ela Bobina de Tesla com metros de diâmetro no laboratório do Colorado? Tesla logo percebeu que ela não era suficiente. Então, ele voltou para Nova York atrás de investidores para construir uma torre gigantesca que seria usada para transmissões sem fio. Assim, acabou chamando a atenção de um cara chamado J. P. Morgan, que era um dos maiores magnatas de Wall Street na época. Papo vai, papo vem, o Morgan concordou em bancar o

projeto por uma quantia que hoje seria uns cinco milhões de dólares. O Tesla imediatamente comprou um terreno numa região de Nova York, onde um empresário estava construindo um condomínio chamado Wardenclyffe-On-Sound, e começou a se preparar para construir a torre, que acabou sendo conhecida como Torre de Wardenclyffe. Mas ela também é chamada, claro, de Torre de Tesla. E o projeto era monumental, com a torre planejada para ter quase metros de altura. Para vocês terem

uma ideia, o Cri sto Redentor, no Rio de Janeiro, tem metros de altura. E, em cima da torre, ainda teria uma cúpula com mais de metros de diâmetro. Na verdade, os planos do Tesla iam muito além da torre. Ele começou a imaginar uma cidade inteira com instalações e empresas onde todos os seus inventos seriam fabricados. E, embaixo da torre, teria um prédio com um laboratório para o Tesla, uma sala de instrumentos, outra com uma caldeira e uma com um gerador enorme. E

esse seria apenas o primeiro passo no plano do Tesla, que visualizava construções como essa espalhadas pelo mundo, transmitindo informações e energia elétrica para todos os lados. Mas o Marconi, aquele italiano que também pesquisava transmissão sem fio, avançava cada vez mais com suas pesquisas. Então o Tesla começou a aprimorar os seus planos, para que a torre também transmitisse ligações de telefone e até mesmo imagens. Tudo, claro, sem fio, através de ondas de

rádio. Então deixa eu explicar rapidamente como isso funciona, que é algo fascinante. Uma onda de rádio é uma onda eletromagnética que se comporta de uma forma parecida com a água de um lago quando você joga uma pedra nele e ela se espalha. Só que essa onda eletromagnética se move muito rápido e é capaz de levar informações com ela. Imagine um locutor de rádio. O microfone capta o que ele está falando e transforma esse som numa onda eletromagnética, que é

transmitida pelo ar numa frequência específica. Os rádios sintonizados nessa frequência captam essa onda e transformam esse sinal numa corrente elétrica que contém aquela informação sonora, que é decodificada e vai para o alto falante. Tá, mas isso funciona para um rádio que tem som. Tesla queria transmitir imagens. Como ele iria fazer isso? O processo é exatamente o mesmo. Quando falamos no som ou numa imagem, estamos falando de informação. Então se v ocê tem um aparelho

capaz de codificar essa informação e um receptor capaz de entender essa informação, ela pode ser transmitida por ondas de rádio. E existem vários tipos de ondas e algumas das mais conhecidas são a AM e a FM. A AM, que significa amplitude modulada, é mais sensível a ruídos e estática, mas tem um alcance maior. Já a FM, ou frequência modulada, tem um alcance mais curto, mas sofre menos interferência. É por meio dela que imagens podem ser tran smitidas. Agora que vocês sabem

isso, vamos voltar para a torre do Tesla. Todas essas mudanças que ele fez para aprimorar a torre deixaram o projeto mais caro, e o J. P. Morgan avisou que não ia dar mais dinheiro e ainda exigiu uma prestação de contas da grana que já tinha enviado. De quebra, esse cara se envolveu numa crise na Bolsa de Valores, dificultando ainda mais a vida do Tesla. De qualquer forma, a construção começou em setembro de , e acabou se to rnando um dos períodos mais difíceis na vida

do Tesla, que ficava implorando por dinheiro para o Morgan e nunca recebia resposta. Para piorar, em dezembro, o outro inventor, o Marconi, anunciou para o mundo que havia feito a primeira transmissão de comunicação sem fio, por rádio, através do Oceano Atlântico. Tesla ficou arrasado! A construção da Torre continuou e em junho de , o Tesla mudou seu laboratório para o prédio abaixo da torre. No fim do ano, a construção foi finalizada e o Tesla continuava sem

sucesso tentando convencer seu investidor J.P Morgan de que seu sistema era melhor que o do Marconi. Agora, vem cá... O Tesla também não se ajudava muito, porque não contava para ninguém o que fazia naquela torre. Sempre que os jornalistas perguntavam, ele dizia apenas que estava mandando mensagens pela torre, mas que não tinha nenhum plano comercial concreto. O problema é que os investidores estavam apos tando cada vez mais no sistema do Marconi, e isso aumentou

ainda mais quando alguns jornalistas começaram a dizer que aquela torre era uma farsa montada pelo Tesla. Na sua época, Tesla e suas teorias costumavam ser consideradas bizarras, ridículas ou em outras palavras, maluquice. Aos poucos, o projeto foi minguando e, em , foi interrompido de vez. E o Tesla estava completamente quebrado. Nesse mesmo ano, as patentes dos motores de corrente alternada e de distribuição de eletricidade expiraram, e ele parou de receber qualquer

tipo de grana por isso. Além disso, o estilo de vida do Tesla não ajudava muito na hora de fechar as contas no fim do mês. Desde , ele começou a morar em hotéis. E ele não escolhia apartamentos com uma cama, uma mesinha e um banheiro. Não, ele se mudou simplesmente para o Waldorf Astoria, um dos hotéis mais luxuosos de Nova York. Claro que uma hora ele devia uma fortuna para o hotel. Então, em , ele hipotecou a propriedade da torre, deixando ela como

garantia de que iria pagar a conta do hotel. Em , ele hipotecou a propriedade de novo para cobrir despesas. Em , as instalações da torre começaram a ser abandonadas e logo tudo começou a se deteriorar pela falta de manutenção. Nessa época, ele abriu vários escritórios para comercializar e cuidar das patentes, mas nem sempre conseguia pagar o aluguel desses lugares. E o dinheiro que ganhava das patentes registradas em países europeus acabou quando a I Guerra

Mundial começou, em . E chegaram a rolar duas coisas em que poderiam dar algum dinheiro para o Tesla, mas acabaram mesmo não dando em nada. Primeiro, ele tentou processar a empresa do Marconi. Em , o Marconi ganhou o prêmio Nobel e o Tesla ficou furioso com isso. Aí, em , entrou com uma ação, alegando que a transmissão por rádio do italiano só aconteceu graças a algumas de suas invenções, mas o processo não foi para a frente. Ainda naquele ano rolou

um boato de que o Prêmio Nobel de Física seria dividido entre o Tesla e o Thomas Edison, mas isso acabou não acontecendo. E o que se diz é que cada um teria recusado dividir o prêmio com o outro. A Fundação Nobel disse que isso era absurdo e uma pessoa só poderia recusar o prêmio depois de ser anunciada como vencedora. Mas existem, sim, boatos de picui nhas entre os dois, tipo que um não aceitaria receber o prêmio depois do outro ou que o Edison não queria que o Tesla

recebesse os mil dólares da premiação. Enfim, nada disso nunca foi confirmado. Mas o fato é Tesla nunca ganhou um Nobel. O que importa aqui é que o Tesla continuou sem grana. Em , perdeu a propriedade da torre para o dono do hotel, que, dois anos depois, demoliu tudo. E assim, o maior sonho da vida do Tesla virou sucata e foi vendido para o ferro velho pelo valor de . dólares. E sabe o que torna tudo ainda mais triste? O plano do Tesla era que o serviço

dessa torre fosse usado de graça pelas pessoas. É claro que o Tesla precisava e queria ganhar dinheiro com suas invenções, mas sua prioridade sempre foi fazer a tecnologia beneficiar o mundo. Nenhuma companhia ou corporação tem a intenção de fornecer sua tecnologia de graça. E Tesla foi impedido de dar ao mundo energia de graça. Agora, nos anos em que o Tesla lutou para manter o projeto da torre, ele ainda encontrava tempo para criar outras invenções. Uma delas foi

demonstrada quando ele fez anos, em . Ele queria encontrar uma alternativa para o motor de pistão dos primeiros automóveis, então criou uma turbina que não usava pás, mas sim discos que giravam e faziam o motor funcionar. E sabe o que é mais curioso? Esse motor, que ele patenteou em e ficou conhecido como Turbi na Tesla, era mais eficiente que os motores usados nos automóveis da época. Mas ele nunca teve sucesso comercial e até hoje é muito pouco usado, na

maior parte das vezes dentro de laboratórios para manuseio de fluidos e líquidos. Um dos sonhos do Tesla era que essa turbina fosse uma ferramenta para o uso de energia geotérmica, que tem sua origem no calor do planeta. Isso é muito importante o Tesla estava à frente do seu tempo também no modo de ver o plane ta. Ele era um ambientalista e defendia o uso de combustíveis renováveis para diminuir o consumo dos recursos naturais da Terra, algo que é muito mais discutido

hoje em dia. Tesla dizia que havia uma diferença entre progresso e a tecnologia. O progresso beneficia a humanidade. A tecnologia não necessariamente faz isso. Se uma tecnologia está poluindo o planeta, isso não é progresso. Já alguns anos depois, durante a Primeira Guerra Mundial, o Tesla afi rmou o seguinte um raio elétrico com frequência enorme poderia ser usado para descobrir a localização de submarinos, porque os veículos iriam refletir esse sinal e isso

poderia ser captado em uma tela. Caso você não tenha percebido, o Tesla estava falando de radares, que seriam inventados somente na década de , na França. E ele estava certo, porque os primeiros radares funcionavam como ele falou, com os veículos refletindo um sinal de alta frequência. Mas ele se acertou a respeito dos radares, errou especificamente a respeito dos submarinos, porque hoje a gente sabe que ondas de alta frequência não penetram muito na água. Quando Tesla

deu essa declaração, em , já estava com mais de anos. Nessa fase, ele começou a ter um modo de vida ainda mais excêntrico. Continuava morando em hotéis de luxo por anos, até ficar claro que ele não ia pagar a conta. Aí era convidado a ir embora e se mudava para outro hotel. Outro problema que o Tesla arrumava nos hotéis tinha a ver com seu novo hobby Pombos! E não eram pombos-correio com sistemas de transmissão sem fio que passavam a mensagem de um para o

outro... Não, nada disso. Eram pombos mesmo, que ele adorava alimentar todos os dias num parque. O problema é que ele não dava comida para os pombos só no parque, mas também na janela do seu quarto. Se você passasse na frente do hotel, era fácil descobrir qual o apartamento do Tesla. Era só olhar para cima e ver qual janela tinha dezenas de pombos. Aliás, um dia, um dos pombos que pousou na janela do Tesla estava machucado. Adivinha só? Ele criou um aparelho para

que a ave pudesse ficar de pé até se recuperar. O problema é que, para cuidar desse pombo, o Tesla gastou mil dólares que não tinha. Então, o Tesla ia mudando de um hotel para o outro e cuidando de pombos, mas claro que nunca parou de pensar em n ovos inventos, mesmo que num ritmo menos acelerado. Uma das ideias que ele teve nessa época foi um avião capaz de decolar de forma completamente vertical. Claro que muita gente falou que aquilo era inútil e até mesmo

loucura, mas hoje o exército americano tem uma aeronave bem parecida com isso. Agora, a grande importância desse avião não está nele ser usado ou não, mas sim que essa foi a última patente que o Tesla recebeu na vida. Isso rolou em , mesma época em que ele fechou definitivamente o escritório que cuidava dos seus negócios. Então, a gente pode dizer que aí, o Tesla, que estava com anos, se aposentou. Mas isso não quer dizer que ele foi esquecido. Pelo

contrário... Em , um jornalista que virou amigo do inventor organizou uma festa para celebrar os seus anos. E esse evento mostrou para o mundo a importância do nome de Nikola Tesla. Ele foi tema de uma reportagem espe cial que ganhou a capa da revista Time, e recebeu dezenas de mensagens de cientistas e engenheiros. Entre elas, estava uma carta de Albert Einstein. O Tesla era um grande crítico da Teoria da Relatividade formulada pelo Einstein. Aliás, em

, falou que tinha desenvolvido uma teoria da gravidade dinâmica que iria contrariar a teoria do Einstein de que o espaço se curvava, mas nunca mais tocou no assunto. Mas vamos voltar para a comemoração dos anos do Tesla. Ele curtiu tanto a ideia que decidiu repetir o evento todos os anos, chamando jornalistas para que eles ouvissem suas histórias e experimentassem os pratos que ele mesmo cozinhava. Ah, e provavelmente o Tesla não experimentava todos esses

pratos que fazia, porque no fim da vida virou vegetariano. Mas o legal dessas festas é que elas reúnem algumas das maiores lendas sobre o Tesla. Em , ele disse que tinha inventado um motor que funcionava à base de raios cósmicos, que são prótons que se movem quase na velocidade da luz. No ano seguinte, falou que estava prestes a provar a existência de uma forma de energia, que ia contra tudo o que Einstein dizia. Mas uma das histórias mais famosas rolou em

, quando ele disse que tinha criado uma super arma conhecida como "o raio da morte". Nikola Tesla apresentou sua arma de feixe de partículas com o nome de Teleforce. A empresa no entanto logo o apelidou de Raio da Morte de Tesla, um nome que frustrava o inventor com então anos. Essa ideia meio maluca era uma coisa razoavelmente famosa na época e vários cientistas, como o próprio Marconi, alegaram em algum momento ter pesquisado ou inventado algo

parecido com isso, parecido com o raio da morte. Tesla nunca dava muitos detalhes sobre os inventos que falava nestas festas, mas esse projeto do raio da morte foi descoberto nos anos . Era uma espécie de tubo que dispararia cápsulas de mercúrio carregadas com eletricidade, formando um raio que poderia ser mirado no inimigo. Ou seja, era tipo uma arma de filme B de ficção científica. Outra história que ficou bem famosa foi sobre sua máquina de terremotos. Isso, na

verdade, era um aparelho que ele tinha criado ainda no século XIX, chamado oscilador mecânico, que funcionava a base de vapor e era capaz de produzir eletricidade. Em sua festa de anos, Tesla disse que esse aparato era tão potente que tinha causado um pequeno terremoto em Nova York, em . Mas, em , os Caçadores de Mitos colocaram isso à prova com esse aparelho e viram que o Tesla exagerou um pouco nessa conclusão. Imagine então o que os Caçadores

de Mitos não fariam com a câmera que fotografa a retina da pessoa para gravar seus pensamentos? Sim, o Tesla disse numa dessas festas que estava trabalhando nes sa invenção. Meu primeiro contato com o Tesla foi em um livro... que dizia que ele foi o inventor do motor de indução do sistema de energia hidroéletrica, luzes de neon florescentes, controle remoto, robôs, armas de feixe de partículas. Ele tinha tecnologia de telefone celular em . Agora, os

assuntos nessas festas não eram apenas ciências e invenções mirabolantes, porque o Tesla aproveitava para dar suas opiniões sobre vários assuntos. E algumas das mais interessantes eram sobre religião. Como vocês lembram, o Tesla cresceu numa família religiosa, mas dizia ser contra qualquer tipo de fanatismo religioso e, no final da vida, passou a dizer que não se considerava uma pessoa de muita fé. Talvez seja por isso que ele dizia que, na sua opinião, o espírito

humano era apenas a soma das funções do corpo da pessoa. Quando essas funções se encerravam, o mesmo acontecia com a alma. Ele também en xergava o universo como uma enorme máquina, algo que era bem a cara dele. Agora, vem cá. Festas, jantares... Quem pagava por tudo isso? Bem, em , o Tesla já tinha morado em vários hotéis em Nova York. Então se mudou para o Hotel New Yorker e provavelmente só ia ficar ali até os donos perceberem que ele nunca ia pagar a

conta. Mas lembra da Westinghouse, a empresa que esteve ao lado dele na Guerra das Correntes? Como o nome do Tesla a inda era muito associado à empresa, essa falta de grana do inventor não pegava bem para eles. Então, a partir de , eles começaram a bancar a hospedagem dele no hotel e a pagar um salário mensal como consultor. Claro que ele não fazia consultoria nenhuma para os caras, mas esse foi o modo que eles encontraram de bancar o Tesla nos últimos anos de

sua vida. E é triste demais ver um gênio como ele praticamente morando de favor e sem um tostão no bolso. Mas foi exatamente assim que ele viveu, com suas manias e alimentando seus pombos... Até ser atropelado. Isso mesmo. Em Tesla, já com seus anos de idade, foi atropelado. Ele estava atravessando a rua e um táxi o acertou em cheio. Tesla se arrebentou inteiro, quebrou várias costelas. Mas ninguém nunca soube ao certo o tamanho do estrago, porque

o inventor detestava ir a médicos. Ele fez uns curativos, mas nunca se recuperou totalmente. Mas aí, no começo de , o quarto do Tesla no hotel ficou dois dias trancado. A camareira passava pelo corredor, via o sinal de “não perturbe” na porta e seguia em frente. Mas no dia de janeiro ela ficou desconfiada, entrou no quarto e levou um susto enorme. Logo a notícia começou a se espalhar Nikola Tesla, um dos maiores inventores da história, havia sido

achado morto em seu quarto de hotel, aos anos. Tesla morreu sozinho, acompanhado apen as pelos seus pombos que ficavam na janela, e o exame decretou que a causa da morte foi uma trombose coronária, que é uma obstrução nas artérias do coração. Antes mesmo do enterro, o FBI apreendeu todos os pertences do Tesla, porque claro que queriam fuçar nos projetos de um cientista que tinha estudado vários tipos de energia e dizia ter inventado um raio da morte. Mandaram

tudo para um professor analisar e depois de três dias, esse cara alegou que nenhum projeto do Tesla representava uma ameaça nacional e que a maior parte dos trabalhos dele nos últimos anos era especulativo, filosófico e sem aplicações práticas. Ah, o nome desse professor era John G. Trump, tio de um cara que até pouco tempo atrás era presidente dos Estados Unidos. Estes documentos são incríveis! É um relatório de Trump e está assinado por John G.

Trump. Ele é tio do presidente Trump. - É sério? - É, demais! Agora, já pensou se esse John Trump resolve ficar com o raio da morte e deixa de herança para seu sobrinho?! Anos depois, todo o material do Tesla foi enviado para um de seus sobrinhos, que foi considerado o herdeiro do inventor pela justiça. Mas existem documentos que mostram que nem todo mundo no FBI concordou com isso, e existem suspeitas de que alguns projetos do Tesla nunca foram devolvidos

e ainda estão guardados em algum porão da agência. A lguma coisa não está cheirando bem. Não tem motivos para um cara de tamanha importância, com um imenso valor histórico, ser praticamente apagado da história. O que temos sobre ele, o que sabemos que existe, está trancado e não querem nos mostrar! Uma curiosidade Em , a Suprema Corte americana decidiu que realmente algumas patentes envolvendo a primeira transmissão de rádio não eram do Marconi. Com

isso, vários inventores que fizeram descobertas que ajudaram isso a acontecer foram reconhecidos. Entre eles, o Tesla, que passou a ser visto oficialmente como um dos pais da comunicação sem fio. Como vimos aqui, esse reconhecimento foi merecido, mas infelizmente, veio tarde demais. Meses antes disso acontecer, no dia de janeiro de , cerca de duas mil pessoas acompanharam o funeral do Tesla em Nova York. Seu corpo foi cremado, mas sua história ainda

guardava mais uma viagem, em , q uando suas cinzas foram levadas para Belgrado. mas sua história ainda guardava mais uma viagem, em , quando suas cinzas foram levadas para Belgrado. Hoje, elas estão numa urna no Museu Nikola Tesla. Então, quem passar por este museu pode ver os restos mortais de um homem que literalmente mudou a história do mundo. Nikola Tesla teve a patente de mais de inventos e deixou livros e artigos científicos estudados até

hoje. Mas talvez a maior contribuição do Tesla seja sua história. Tesla foi um sujeito que precisou enfrentar muita coisa para fazer a ciência transformar a sociedade. Ele enfrentou doenças, falta de grana e de apoio e nunca desanimou. Ele nunca desistiu de mudar o mundo. E o Tesla é diferente de muitos outros cientistas famosos Ele não era apenas teórico, estava sempre querendo colocar as coisas em prática. Nem todos seus inventos deram certo. Alguns

rolaram apen as depois do seu tempo. Mas aqueles que deram certo influenciam nossa vida até hoje. Por isso quero encerrar este vídeo voltando para aquela pequena aldeia onde nossa história começou. Pode acreditar, mas Nikola Tesla nasceu durante uma tempestade de raios muito forte. A parteira achou que isso era um sinal de mau agouro e disse para a mãe que “esse bebê vai ser da escuridão”. Mas a mãe dele não concordou com isso e respondeu que “não, ele será uma

pessoa da luz”. Como eu disse no começo do vídeo, basta você acender a luz do seu quarto para perceber que a mãe do Tesla estava certa. Então, quero que você pense um pouco o quanto o Tesla está presente na nossa vida guardando uma frase que ele disse uma vez "O presente é deles;" mas o futuro, pelo qual eu sempre trabalhei, é meu." Felizmente, hoje nós sabemos que Tesla estava coberto de razão. Pessoal, esse foi o Documentário Nostalgia sobre a vida de

Nikola Tesla! Se você gostou desse trabalho, deixe aqui seu gostei, não se esqueça de se inscrever aqui no canal e também de me seguir lá no Instagram @fecastanhari. E agora você também pode clicar no botão "Valeu", que fica do lado do botão "Compartilhar", para fazer uma contribuição para o Canal, caso você acredite que esse vídeo aqui do Tesla tenha valido à pena! Sua doação vai ficar visível para todo mundo nos comentários e terá a minha eterna grat idão! Caso

você queira doar, doe, com o coração! Comente aqui embaixo que outro cientista você gostaria de conhecer aqui no Nostalgia, mas calma, não vai embora ainda! Você pode clicar aqui para assistir ao nosso documentário sobre Albert Einstein ou sobre Stephen Hawking! Obrigado pela sua audiência e pelo carinho. Um beijo, fiquem bem! Tchau! Português

NIKOLA TESLA - O INVENTOR MAIS INJUSTIÇADO DA HISTÓRIA - Doc Nostalgia

Você utiliza VÁRIAS invenções de Nikola Tesla em sua casa o tempo todo, só não sabia disso. Conheça a história de um dos inventores mais injustiçados que já viveu: NIKOLA TESLA MEU INSTAGRAM: @fecastanhari - http://goo.gl/qdliIC MEU TWITTER: @fecastanhari - http://goo.gl/A1AsOg COMO VOCÊ PODE NOS AJUDAR? ▀▀▀▀▀▀▀▀▀▀▀▀▀▀▀▀▀▀▀▀▀▀▀▀▀▀ Dedicamos nossa vida ao Nostalgia, seria uma honra poder contar com sua ajuda. Faça parte do CLUBE NOSTÁLGICO - http://youtube.com/nostalgia/join CRÉDITOS ▀▀▀▀▀▀▀▀▀▀▀▀▀▀▀▀▀▀▀▀▀▀▀▀▀▀ Roteiro - Rob Gordon e Felipe Castanhari Consultoria - Gustavo Rojas e Vinicius Marangon Pesquisa - Vinicius Penteado Ilustrações - Randall Random Edição e Motion - Mariana Kadlec e Aninha Miranda Animação - Elvis Sampaio Design - Bel Rainer Produção - Thed Oliveira Direção - Felipe Castanhari MOSTRAR MAIS

c Nostalgia

Postar um comentário

0 Comentários