Header Ads Widget

Resíduos de laboratórios têm coleta específica para destinação adequada

20/6/22 às 10:35

Resíduos de laboratórios têm coleta específica para destinação adequada

Só em maio, Caesb coletou nas estações de tratamento mais de 10 toneladas de material; boa parte do que é reciclado pode ser usada como combustível

Agência Brasília* | Edição: Chico Neto

Atuar firme na coleta de materiais gerados por seus laboratórios de análises fisicoquímicas, nas estações de tratamento de água e de esgotos (ETAs e ETEs) e nas áreas de manutenção predial, industrial e mecânica segue como uma das condutas prioritárias da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb). Só em maio, foram coletados 10.150,65 kg de resíduos laboratoriais, 18.720 kg de tubos e peças contaminados por esgoto, 3.860 unidades de lâmpadas inteiras, 19,85 kg de cacos de lâmpadas quebradas e 21 kg de pilhas.

Lâmpadas usadas são recolhidas ao depósito da Caesb no SIA | Foto: Cristiano Carvalho/Caesb
Cada tipo de coleta é encaminhado a um sistema de reciclagem específico

Os resíduos laboratoriais e resíduos contaminados com esgoto são processados em uma fábrica da Recintec Tecnologias Ambientais, empresa contratada pela Caesb para a prestação de serviços de coleta, acondicionamento, transporte e destinação final ambientalmente adequada. Esse material é transformado em blends, um combustível alternativo que pode ser utilizado em fornos de cimenteiras. Já as pilhas, baterias e lâmpadas são encaminhadas a empresas especializadas na reciclagem destes materiais.

A Caesb centralizou em algumas unidades o armazenamento temporário desses produtos até que sejam recolhidos, o que ocorre três vezes por ano. A ETA Brasília, a ETA Rio Descoberto e a ETE Norte recebem os resíduos laboratoriais, enquanto o depósito da companhia no SIA recolhe as lâmpadas e resíduos contaminados com óleos e graxas. Já a ETE Melchior guarda os resíduos e peças sem utilidade contaminadas com esgotos.

“A contaminação do solo, do ar e dos recursos hídricos pode ocorrer com o manuseio e descarte incorreto dos resíduos especiais”, alerta o gerente de Gestão Ambiental Corporativa da Caesb, Flávio Santos Gonçalves.

A política que regula o Sistema de Gestão Ambiental (SGA) da Caesb se baseia na ABNT NBR ISO 14001, norma aceita internacionalmente que define os requisitos para colocar esse segmento e ajuda a melhorar o desempenho das empresas por meio da utilização eficiente dos recursos e da redução da quantidade de resíduos, ganhando vantagem competitiva e confiança das partes interessadas.

*Com informações da Caesb

Últimas Notícias

Postar um comentário

0 Comentários