Estudo ajuda a compreender onda de violência no Rio, Recife e Salvador

[ad_1]

O ano de 2023 foi marcado pela violência armada nas cidades de Recife, Salvador e Rio de Janeiro. É o que mostra o levantamento anual do Instituto Fogo Cruzado, divulgado nesta segunda-feira (29). Um dos destaques do estado do Rio de Janeiro é a escalada dos conflitos na Zona Oeste, que vive uma guerra entre o tráfico de drogas e a milícia. A disputa fez o número de mortos dobrar mais de 100% e o número de tiroteios subir mais de 50%, na região, em comparação a 2022.

Ao todo, a cidade do Rio de Janeiro teve 2.953 tiroteios em 2023. Houve vítimas em 41% deles: 962 pessoas morreram e 884 ficaram feridas. Na maior parte dos casos, as vítimas eram jovens e ao menos 25 crianças foram baleadas. Embora os números representem uma queda de 18% em relação a 2022, dos quase 3 mil tiroteios mapeados, 34% aconteceram durante operações policiais. 

Maria Isabel Couto, diretora de Dados e Transparência do instituto, ressalta que os indicadores ajudam a compreender a onda de violência e cobrar por políticas pública.

O levantamento mostra também que houve uma disparada nos números relacionados à violência policial em Recife: 2.827 disparos de arma de fogo mapeados na região metropolitana do Recife; 5% ocorreram durante ações e operações policiais. foram 99 ações policiais com disparos de arma de fogo que resultaram em 68 mortos e 45 feridos. 

Já em Salvador, dos episódios de violência armada mapeados, 37% ocorreram em situações de ação policial; 2.413 mortos no ano, 190 foram vitimados nas 48 chacinas que ocorreram em Salvador e região metropolitana em 2023, sendo que 69% foram durante ações ou operações policiais, deixando 136 civis mortos.

Maria Isabel Couto classifica a situação nas 3 capitais monitoradas como um descontrole.

Em nota, a Secretaria de Estado de Polícia Civil do Rio de Janeiro afirma desconhecer a metodologia utilizada pelo Fogo Cruzado e informa que as ações da polícia são norteadas com base em dados oficiais do Instituto de Segurança Pública, que registraram reduções expressivas nos crimes contra a vida. Diz ainda que todas as ações são realizadas por agentes capacitados, após minucioso planejamento, priorizando sempre a preservação de vidas, tanto dos policiais quanto dos cidadãos, diz a nota.

A Secretaria de Estado de Polícia Militar do Rio também informou, por nota, que não recebeu as informações sobre o estudo e que leva em consideração sempre os dados oficiais divulgados.

Já a Secretaria de Segurança Pública da Bahia declarou que as mortes violentas, no estado, apresentaram redução de 6% em 2023 e que o número absoluto de assassinatos foi o menor dos últimos 7 anos. Destacou também as apreensões expressivas de fuzis e armas de fogo.

O governo de Pernambuco não respondeu até o fechamento desta reportagem

* Com colaboração de Vitor Abdala.

[ad_2] Source link https://expressoverdades.com.br/estudo-ajuda-a-compreender-onda-de-violencia-no-rio-recife-e-salvador/?feed_id=348&_unique_id=65bf218b1b127

Postar um comentário

0 Comentários